Tag: amamentação

Tratamento odontológico na fase de amamentação #Dica 20

Antes de engravidar da Gi, estava fazendo um longo tratamento odonto. Com a gestação, tive que parar o tratamento e esperar.

Agora, depois de longos 9 meses de gestação + 9 meses da Gi, voltei para ver a atual situação dos meus dentes.

Ganhei uma carie nova e quando o Dr. Wagner (meu dentista) começou a obturação descobriu que a carie era na verdade um canal. E para quem não sabe, o tratamento de canal é MEGA dolorido e a anestesia só pega bem se a gengiva não estiver inflamada (e a minha estava!). Resultado, tive que primeiro tomar um antiflamatório (o que não é indicado na fase de amamentação, pois o medicamento pode ser excretado pelo leite ou até secar o leite!).

O Dr. Wagner receitou o Celebra (que eu sempre tomei), relemos a bula e fizemos o teste, já que a Gi só mama a noite e na madrugada, a ingestão seria menor. Tomei 1 comprimido a cada 12h por 4 dias e não houve qualquer alteração no leite ou mudança no comportamento da Gi, portanto, conclui o tratamento sem complicações.

Mas, isso não quer dizer que funcione com todas as mulheres e seus respectivos babys, este medicamento só deve ser usado com prescrição, nada de ter dor de dente e sair tomando por conta hein!!!

Evitar rachaduras na amamentação #Dica 17

Cada corpo reage de uma forma durante a gestação, há quem diga que teve leite desde o 2º mês e quem leve mais de uma semana após parto para o leite “descer”.

Minha mãe me deixou em pânico contando que as rachaduras são uma dor insuportável e eu me lembro que na gestação da minha irmã ela sofreu bastante.

Então ela me deu a dica de preparar o mamilo e o peito para o tal momento de amamentar.

A partir do sexto mês de gestação, eu comecei a usar uma esponja comum de banho, esfregava sem muita força até onde eu sentia ser o meu limite (para não ficar sensível ou irritado).

Depois, no sétimo mês comecei com as massagens no peito e a tentar extrair o leite, apertava antes do banho por uns 5 minutos, mesmo sem sair nada. Alguns dias depois começou a sair uma gotinha minúscula do colostro, parecia uma cola transparente. Continuei com o ritual até começar a formar umas gotículas no mamilo.

Fiz isso até a Gi nascer, e assim que subimos pro quarto (uns 20 minutos depois do parto) o leite já estava no jeito, não tive dor e nem rachaduras.

Uma vez, apareceu uma fissura em um mamilo, optei por dar apenas o outro peito até que estivesse melhor.

No caso da minha mãe, as rachaduras eram grandes e sangravam, ela optou por comprar uns bicos de silicone que ajudam o baby a não pegar direto no mamilo.

Acho que vale a pena tentar a esponja comum (não a vegetal que esfola tudo!) e tentar extrair um pouco antes da chegada do baby!

Amamentação #Dica 2

Sempre achei mega estranho o ato de amamentar e as outras marinheiras sempre diziam: “não se preocupe, a natureza fará parecer normal e mágico!”.

Tá, eu ainda não acho normal, mas considero de suma importância amamentar os babys e a única mágica foi ver a Gi crescer super saudável, nascer com 2,8kg e com 6 meses chegar aos 7,5kg… isso é mágico!!!

Mas é isso ai, é importante e eu ainda amamento a Gi que esta quase com 7 meses (e pretendo continuar pelo menos até o 1º aninho), agora ela já come papinha no almoço, mas mantive as mamadas normalmente.

Apesar dos pediatras não concordarem, eu sempre dei mama para Gi quando ela chorava. Verificava a fralda, temperatura e sono, tudo OK, então toma mama, a cada duas horas, de hora em hora, não importava! Penso que se o baby esta reclamando, alguma coisa esta errada, se não é o óbvio, pode ser uma cólica, ou qualquer incomodo e assim que a Gi mama ela acalma, se for qualquer outra coisa vai aparecer depois, senão simplesmente passa!

É fato que refrigerantes dão muitos gases e terríveis cólicas no babys, no caso da Gi, ela chegava a ter refluxo quando eu tomava refri, então cortei do meu cardápio.

Alguns alimentos que são saudáveis, mas que me causam gases (acho que quase todo mundo), também dão gases na Gi através da amamentação, por exemplo, o feijão. Amo comer feijão, mas cortei ele das minhas refeições e quando almoço na minha mãe, eu como só o caldo!

Pra mim, chocolate e café esporadicamente e em quantidades mínimas (uma xícara de café com leite de manhã ou uma barrinha de 100g de chocolate), não dão problemas, mas se abusar as cólicas vem com tudo na Gi!

Não costumo comer besteiras, porque não gosto mesmo, mas não abro mão de comer pelo menos 1 vezes no mês um bolo de chocolate, um pacote de chocooky, katchup, salsicha, hamburguer, porém para “compensar” o dano, eu tomo litros de água e não abuso como antes que comia 2 ou 3 hot dogs, hoje como apenas um e com uma salsicha de vez em quando.

Quanto as bebidas alcoolicas, todos sites dizem para não beber, mas para mim a regra é igual das guloseimas, tudo com moderação, eu bebo meia taça de vinho 1 vez por mês, bebo meia garrafinha de malzbier quinzenalmente e sempre bebo bastante agua junto.

A alimentação durante a fase de amamentação vai do bom senso das mamães, pode comer de tudo, desde que com moderação, o importante é entender o que faz mal para você, fará mal para o baby. Qualquer coisa em excesso também não é legal e basta você observar após comer e amamentar as reações do seu baby!

Outra coisa que aconteceu comigo desde o inicio é que a Gi nunca mamou por mais que 30 minutos! Desde que ela nasceu só mama 1 peito por mamada, geralmente 10 minutos e pronto. Conversei com o pediatra e ele disse para eu tentar dar os 2 peitos em cada mamada. Resultado, a Gi vômitou nas duas tentativas. Ou seja, se o seu baby mama só um peito por mamada, não tem problema (desde que na próxima mamada você dê o outro peito) e também não tem problema se ele não mama por horas como a maioria, a Gi é super saudável, desenvolveu acima da média e mama assim até hoje!

© 2018 marinheira gabi

Theme by Anders NorenUp ↑