Resolvi parar de tomar o anti-concepcional porque estava tendo alguns problemas de saúde e pretendia usar o método DIU.

Demorei exatos 6 meses para então fazer os exames para utilizar o DIU e então surgiu uma proposta para estagiar, comecei em plena segundona (inicio de junho), que por sinal, era dia da ‘mens’ chegar. Nunca atrasei a menstruação, nem um dia sequer, mas parece que tudo tem uma primeira vez! Esperei até quarta e então conversei com meu marido e resolvemos comprar o teste de farmácia, em 5 minutos o resultado… Gravidíssima!!!

Meu marido aos pulos de alegria e eu quase chorando, em meio a faculdade, inicio do estagio… OMG!

Marquei obstetra para semana seguinte, ele me pediu os exames de praxe e lá vou eu.

Devido ao transito caótico de São Paulo, perdi o horário do ultra-som transvaginal e só consegui remarcar para semana seguinte.

E ai veio o susto, tive um pequeno sangramento bem escuro, fui para o pronto-socorro mais próximo Hospital Nossa Senhora de Lourdes (onde fui informada que não havia maternidade, mas, tinha ginecologista apto a fazer os exames padrões), fiz o ultra-som que levou quase 1 hora com 3 médicos assistindo, pude ouvir o som do coraçãozinho e ver o feto mexer. Chorei! Foi ali que caiu a minha ficha e eu me dei conta da grandeza que estava por vir. O resultado levou o dia inteiro (fui em casa, comi, descansei e voltei só a noite pra buscar o resultado).

A médica disse que estava tudo OK, pediu apenas para repousar.

No dia seguinte, liguei pro meu GO (ginecologista obstetra) e contei o que havia acontecido, passei no consultório dele e ele receitou um remédio oral e outro que eram capsulas vaginais para parar com o sangramento e segurar o baby por 7 dias. Segui as orientações e funcionou!

Meu niver chegou, ultimo dia do mês de junho, minha família foi me visitar, saber das novidades do baby e no dia seguinte era o ultra remarcado.

Era então o dia, eu e meu marido ansiosos, aquele friozinho na barriga, levamos o DVD para gravar.

Começou o exame, a médica estava com uma cara de “ué?!”, ela perguntou como estava a gestação, contei para ela do sangramento, então ela disse: “não estou conseguindo captar nenhum movimento do feto, nem mesmo o batimento. Ta vendo aqui na tela, deveria estar mexendo, mas não esta. Vou pedir para vocês esperarem o resultado e é melhor você ligar para o seu GO o quanto antes.”

Olhei para o Gabriel, ele estava branco igual fantasma, paralisado, não tinha o que fazer, pegamos o resultado obvio e fomos para casa, nunca vi meu marido chorar tanto!

Meu GO suspendeu o uso dos remédios para segurar o baby e passou alguns remédios que ajudariam na limpeza do útero (que não encontrei em nenhuma farmácia!), tomei apenas o Buscopan.

Caramba, que dor era aquela! É algo surreal e muito próximo da dor do parto, só que é uma dor junto com uma tristeza enorme, uma sensação de incopetencia, para resumir muito é horrível!

Me senti um lixo por uma semana completa, fiquei de molho, chorava, sentia muita dor, não queria falar com ninguém e só queria que passasse logo! É inevitável as pessoas quererem consolar, mas é um saco ouvir aquelas palavras, naquele momento.

É assim, todos ficaram naquela expectativa de engravidar nos próximos meses, mas só quando todos esqueceram e eu desencanei de ter um baby (exatos 6 meses depois!) é que descobrimos… Gravidíssima again!!!!

aborto

foto da minha barriga da primeira gestação que infelizmente vim a perder! fizemos uma brincadeira que iria desenhar uma barra de Loading (carregando) mês a mês, travamos nos 10%!