Não via a hora da Gi começar a interagir comigo e com o mundo!

Compramos uma Magali de borracha para ela morder, levou uns 3 meses para ela pegar e colocar na boca.

Investimos R$ 359,00 (com desconto!!!!) no que eu chamo de “Tapete Mágico” da FisherPrice. Sim, caro pra chuchu, mas 100% eficiente. A Gi começou a brincar com 2 meses e pouquinho, só batendo a mãozinha, depois começou a rolar nele, então começou a puxar os bichinhos pendurados e colocar na boca, e agora o mais legal, ela fica em pé nele!!!

A mãozinha mordedor e chocalho foi presente da Dinda, a Gi adora porque é macio e coça a gengiva!

A galinha chocalho foi presente do Dindo, a Gi gosta porque reconhece o desenho e abre a maior banguela quando vê!

A galinha de pelúcia CANTA, foi presente da Eli, e a Gi adora morder o pé da galinha!

O pianinho eu pedi para a Dinda quando a Gi estava com 3 meses (porque ajuda no desenvolvimento da coordenação motora, é bom para distrair o baby e ela já vai aprendendo os sons dos bichinhos). No começo ela não conseguia apertar os botões, então não via tanta graça, já com 4 meses ela começou a espancar o piano e descobriu que saía som, e desde então não tive mais silêncio com esse pianinho que ela adora!

Agora a Gi aprendeu a brincar de “cadê? achou!”, ela gargalha quando eu me escondo e fico aparecendo em outros lugares, é uma delicia!

A piscina eu confesso só ter usado uma vez, porque tinha medo da Gi ficar doente. Ela até gostou de ficar 10 minutos, depois já tava meio irritada por não ter mais o que fazer e foi só isso por enquanto de experiência com a piscininha (que foi da minha irmã Raquel, inclusive o biquíni e o chapéu!).

O andador foi repasse da Olivia, filha da minha prima Ju, se não fosse assim, não compraria um andador. Mas, percebi que mesmo a pediatra reclamando e algumas pessoas pentelhando sobre o andador, ele é realmente muito bacana. É simples, seja uma mãe responsável, não deixe o baby sozinho, menos ainda perto de escadas ou objetos que possam cair sobre o baby. Eu deixo a Gi cerca de 15 minutos no andador de dia e mais 15 minutos a tarde para descansar meus braços e para que ela possa ficar em pé e conhecer a casa. Geralmente eu aproveito esses momentos para pendurar a roupa no varal e brincar de “cade? achou!” entre as outras, ou quando preciso almoçar, coloco ela na frente da galinha pintadinha e consigo comer tranquila (lógico, observando ela o tempo todo). Mesmo com toda essa atenção, é impossível não ter algum acidente, mesmo que pequeno. A Gi por exemplo conseguiu alcançar o fio da internet na tomada e puxou o cabo. Vi a tempo e já troquei o cabo de tomada para que não haja problemas futuros. E outro “atentado” da minha terrorista foi alcançar um balde vazio e sair empurrando ele pelo quintal (achei graça!). Portanto senhoras e senhores, atenção redobrada antes de soltar o baby pela casa, e pode usar o andador, de acordo com a minha mãe, eu usei, minha irmã usou e nós temos as pernas normais e andamos no prazo normal de começar a andar!